a dignidade da diferença
07 de Abril de 2008

Felt mountain - Goldfrapp (2000)

Música nocturna e profundamente cinemática, onde Nino Rota e o Morricone mais clássico se tornam contemporâneos de Badalamenti e, sob a inspiração dos clássicos alemães da viragem do séc. XIX para o séc. XX, inventam e escrevem a banda sonora ideal para o que falta fazer de «Twin Peaks».

David Lynch entrega o guião nas mãos de Will Gregory que lhe acrescenta um ambiente electrónico e contemporâneo, mantendo o essencial dos orgãos vitais.

E, no meio de tamanho crepúsculo, para que tudo fosse perfeito, só faltava Alison Goldfrapp ressuscitar, literalmente, dos restos mortais de Julie London e de Billie Holiday  e trazer consigo uma imensa voz assombrada e desenhada em ecrã panorâmico.

Música viciante e sem fuga possível.

 

Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Que bom é procurar sempre. ...
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
blogs SAPO