a dignidade da diferença
13 de Agosto de 2010

 

 

E, com mais este capítulo, continua a saga em busca dos discos de verão um tanto ou quanto esquecidos. Eis, então, a oportunidade para recordar dois óptimos exemplos das consequências trazidas pela descoberta e abertura, em meados da década de 90 do século passado, da arca do easy-listening. Entre autênticas velharias que nunca deveriam ter saído da sucata, pequenos e esquecíveis fait-divers ou meras curiosidades descartáveis, o que ficou e valeu realmente a pena foi a recuperação de algumas belas antiguidades, indiscutíveis preciosidades que, onde menos se esperava, provocaram subtis rupturas estéticas com o paradigma sonoro da época, as quais não deixaram simultaneamente de cumprir a sua função de música refrescante para o solstício de verão.

 

 

O efeito bola de neve resultou e a segunda metade da referida década trouxe alguns belos exemplos de «música para arrefecer temperaturas» como foi o caso, por exemplo, de Gemini (de 1999) de Sven Van Hees e de Whiskey (de 1996) de Jay-Jay Johanson. O primeiro transporta quem o escuta directamente para o paraíso de uma ilha deserta, meditando sobre coisa nenhuma sob o efeito crepuscular de lentas vibrações electrónicas de matriz «jazz com gin tónico». O músico sueco oferece um registo crooner inspirado no encontro de Frank Sinatra com o drum'n'bass, cujo resultado abraça delicadamente um cocktail de bossa nova com sabor a mentol, Portishead estaladiços e melodias alcoolicamente melancólicas que, ainda hoje, ajudam a passar este verão e, pelo menos, o que há-de vir.

 

 

Jay-Jay Johanson, "I Fantasize Of You"

 

Sven Van Hees, "Ocean Jive"

 

publicado por adignidadedadiferenca às 23:41 link do post
05 de Agosto de 2010

 

 

Eis o início de uma nova e pequena rubrica dedicada aos discos de verão. Pequenas delícias sonoras destinadas a baixar a temperatura habitual da estação para se suportar melhor o verão. Acompanhadas, de preferência, por uma bebida com umas pedras de gelo, ninguém dispensa estes pedaços gulosos de óptima música refrescante.

A primeira recordação que trago para aqui é o mini-álbum de estreia das Antena «Camino Del Sol», publicado originalmente em Setembro de 1982, magnífico cocktail de 18 minutos de samba, electricidade, easy listening e pop multi-cultural leve como o ar. Um belíssimo exemplo de música frívola mas essencial, apropriada para todos os verões.

 

 

publicado por adignidadedadiferenca às 23:46 link do post
Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Que bom é procurar sempre. ...
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
blogs SAPO