a dignidade da diferença
18 de Janeiro de 2014

 

museu.gulbenkian.pt

 

A decorrer no Museu Calouste Gulbenkian (localizado no Edifício Sede da Fundação), a exposição O Brilho das Cidades: A Rota do Azulejo, exclusivamente dedicada ao azulejo, reúne uma original colecção de peças únicas (duzentas, aproximadamente) cuja produção mostra a sua dimensão transtemporal e transterritorial, atravessando séculos de existência e espalhando-se por uma vasta e variada série de culturas e regiões – trata-se de um conjunto de peças proveniente, por exemplo, do Antigo Egipto, Império Otomano, da Flandres, Inglaterra, Índia, Pérsia, entre outros cuja identificação conduziria a uma lista interminável. Dividida em módulos temáticos, os quais, como refere o próprio catálogo da exposição, «abordam questões como o mito da cerâmica dourada, as conquistas da geometria, a importância da heráldica, o valor da mitologia cristã, a estilização da natureza e a representação da utopia e do quotidiano», a exposição espelha de forma assinalável a evolução do azulejo, as possíveis e inesgotáveis combinações entre si, e a sua especial relação com a pintura e a arquitetura, merecendo globalmente o nosso aplauso. Contudo, a colecção, no espaço dedicado ao azulejo português no núcleo Presente e Futuro, esquece injustificadamente Maria Keil, a grande responsável pela sua renovação em Portugal no século XX (mais importante que Cargaleiro e Vieira da Silva, presentes na exposição).

Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
blogs SAPO