a dignidade da diferença
17 de Abril de 2010

 

Cowboy Junkies: The Trinity Session (1988)

 

 

 

Existem bandas (muito) estimáveis cuja carreira fica definitivamente marcada por uma obra impossivelmente perfeita, a qual não deixa sucessão nem grande margem de manobra para o que vier a seguir. Os Cowboy Junkies são uma dessas bandas e The Trinity Session é o marco estético do seu (já) longo percurso musical que, pelo carácter definitivo da sua matriz musical, não admite comparações nem aproximações. The Trinity Session, assinado pelo grupo canadiano em 1988, é um álbum de inacreditável beleza, cujas coordenadas são balizadas pelo silêncio e onde pouco mais se aceita do que sublimares sussurros, ínfimos desenhos melódicos e um acompanhamento instrumental denso e minimalista que recusa a mínima ornamentação. Uma mão-cheia de originais e outra de versões definitivas - como é o caso de Sweet Jane, dos Velvet Underground -, entrelaçadas numa voz assombrosa, contribuíram para o estatuto de culto desta obra magnífica, onde não se admite mais do que pequenas vibrações sonoras como substituto natural do silêncio. Uma obra-prima absoluta que deixou muito pouca descendência e ficou como um anátema que, dadas as circunstâncias, impediu que a banda prosseguisse com uma carreira musical à altura da sua matriz.

 

Sweet Jane, Cowboy Junkies

Abril 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
18
19
20
21
22
24
26
27
28
30
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Que bom é procurar sempre. ...
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
blogs SAPO