a dignidade da diferença
09 de Janeiro de 2012

 

 

«E deve notar-se que, sendo a arte a forma intensa de individualismo, o público trata de exercer sobre ela uma autoridade que é tão imoral como ridícula e tão corruptora como desagradável. A culpa não é toda sua. O público foi sempre, em todos os tempos, mal educado. Pede-se constantemente que a arte seja popular, para satisfazer a sua falta de gosto, para adular a sua absurda vaidade, para lhe dizer o que já antes lhe foi dito, para lhe mostrar o que já devia estar cansado de ver, para o divertir quando se sente pesado depois de ter comido de mais, e para distrair os seus pensamentos quando está cansado da sua própria estupidez.» (A Alma do Homem sob o Socialismo, traduzido por Maria da Graça Morais Sarmento)

Pensamentos, Relógio D’Água Editores

Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
19
20
21
22
23
25
26
27
28
30
31
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
blogs SAPO