a dignidade da diferença
17 de Junho de 2008

Nevoeiro

 

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,

Define com perfil e ser

Este fulgor baço da terra

Que é Portugal a entristecer -

Brilho sem luz e sem arder,

Como o que o fogo-fátuo encerra.

 

Ninguém sabe que coisa quer.

Ninguém conhece o que a alma tem,

Nem o que é mal nem o que é bem,

(Que ânsia distante perto chora?)

Tudo é incerto e derradeiro.

Tudo é disperso, nada é inteiro.

ó Portugal, hoje és nevoeiro...

 

É a hora!

 

(Poema de Fernando Pessoa, música de Amélia Muge do álbum «Todos os dias» editado em 1994)

 

 

publicado por adignidadedadiferenca às 22:06 link do post
Sempre a aprender...
Um abraço.
Transdisciplinar a 18 de Junho de 2008 às 21:04
A Amélia Muge é uma das minhas paixões musicais dos últimos anos e o Pessoa é aquilo que todos sabemos. Um abraço. Voltarei a falar deles mais tarde, com toda a certeza, porque ambos merecem mais destaque. Mas esta coisa do blog dá um bocado de trabalho, principalmente quando se trabalha noutra coisa durante o dia.
Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
16
20
22
23
26
28
29
30
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
Pelo tema, enquadra-se nela sem grande esforço...
Fausto n e da tetralogia. Mas dolce. Q trata do du...
Parece-me uma boa escolha. O som é bom e a qualida...
blogs SAPO