a dignidade da diferença
28 de Maio de 2008

Blackfriars

 

Era o herói da erva.

Tinha para vender

e o corpo.

Nem os olhos, nem a alma

sabia emprestar. Trazia

nos punhos íngremes

metais de marca, duas estrelas

para vigiar-lhe o destino.

Sem luz aos ombros partia,

campeão do sonho sem partilha.

 

Tremiam-lhe os dedos, um resto

de coração vibrava delirado

noutro corpo. Cortado pelo gume

das lágrimas o amor, longa

escadaria sem patamares

ou portas possíveis.

 

Fernando Luís, «Sólon» 1987

 

 

 

 

 

 

DOIS RIOS

 

O corpo dividido em duas partes

fechadas

à chave uma na outra, avanço

num duplo coração como se fosse

ao mesmo tempo num só barco por dois rios.

 

Luís Miguel Nava, «O céu sob as entranhas» 1989

 

 

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
20
26
31
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
Pelo tema, enquadra-se nela sem grande esforço...
Fausto n e da tetralogia. Mas dolce. Q trata do du...
Parece-me uma boa escolha. O som é bom e a qualida...
blogs SAPO