a dignidade da diferença
29 de Janeiro de 2012

 

 

A obra de um dos mais estimáveis cineastas da história do cinema francês, Jacques Demy, tem visto lentamente a luz do dia através do seu lançamento periódico em DVD, cuja edição mais recente - de Lola, (1960), La Baie des Anges (1962) e Une Chambre en Ville (1982) - se deve à excelente iniciativa tomada pela Midas. Conhecido principalmente pelos seus filmes cantados, Les Parapluies de Cherbourg (1963) e Les Demoiselles de Rochefort (1966), torna-se forçoso reconhecer que a restante obra de Demy merece uma reavaliação estética, designadamente, mas não só, o belíssimo Lola (estreia de Demy como autor de longas-metragens) e o magnífico e viciante La Baie des Anges. Correspondendo ao começo da sua carreira, ambos revelam já por inteiro o universo particularíssimo do cineasta francês: os encontros e desencontros amorosos, o cruzamento natural entre fantasia e realidade, ou uma acentuada tonalidade melancólica que funciona como contraponto à doçura generalizada dos ambientes, adicionando à mise en scène um travo final agridoce. A maestria técnica – que sobressai em cada plano da sua mise en scène – e a dinâmica de Demy, esta última influenciada pelo trabalho de Max Ophuls ou de Jean Cocteau, têm uma elegância misteriosa e rara. Às suas personagens, Demy atribui-lhes uma doçura (mas também o seu negativo), uma fragilidade e uma sensibilidade únicas, características essenciais que, acompanhadas por uma tensão que nasce das suas relações recíprocas, conferem ao cinema do autor francês o estatuto certeiro de clássico moderno, para cujo equilíbrio e diversidade estética contribui significativamente a óptima música de Michel Legrand.

 

 La Baie des Anges

Janeiro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
16
17
19
20
21
22
23
25
26
27
28
30
31
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
Pelo tema, enquadra-se nela sem grande esforço...
Fausto n e da tetralogia. Mas dolce. Q trata do du...
Parece-me uma boa escolha. O som é bom e a qualida...
blogs SAPO