a dignidade da diferença
12 de Agosto de 2011

 

 

Nada a Temer, a mais recente obra do escritor britânico Julian Barnes, é um magnífico e melancólico livro que diverte e surpreende, um trabalho do mais fino recorte que convoca – no permanente diálogo que Barnes estabelece com o seu irmão filósofo - a literatura e, sobretudo, a cultura francesa (o que já acontecera no anterior e igualmente notável O Papagaio de Flaubert, romance - ou melhor, ensaio - que chamou à colação A Educação Sentimental do genial autor francês), a meditação filosófica, a religião. Pelo tema - o medo da morte: «as pessoas só acreditam na religião porque têm medo da morte» -, pela ironia, pela inteligência ou pela elegância da escrita, pelo seu subtil rendilhado. Não temos como evitar a morte, mas este livro desconcertante, que incomoda e nos faz meditar, ajuda-nos a superar o medo e a evitar a angústia. Pensando melhor, talvez nem isso. Mas quanto ao prazer literário, não temos nada a temer: é um trabalho que faz caretas à morte.

publicado por adignidadedadiferenca às 23:58 link do post
Fiquei a conhecer este livro por este post e desde logo fiquei muito curioso e interessado. Hoje vi-o à venda na Bertrand e não hesitei e comprei-o. Estou com muita expectativa! Obrigado.
Victor Afonso a 23 de Agosto de 2011 às 23:55
Obrigado. Foi uma excelente opção, Victor. Trata-se de grande literatura. Abraço.
Agosto 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
17
18
19
20
22
23
25
26
27
29
30
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
Pelo tema, enquadra-se nela sem grande esforço...
Fausto n e da tetralogia. Mas dolce. Q trata do du...
Parece-me uma boa escolha. O som é bom e a qualida...
blogs SAPO