a dignidade da diferença
17 de Fevereiro de 2011

 

O universo singular, intenso, dramático e espectral de Nina Nastasia está de regresso com o magnífico Outlaster. Estão de volta os textos incisivos e as linhas emocionais, as mãos frias e os gritos lancinantes, o pó do deserto, as fricções rítmicas, as melodias telegráficas e as dementes explosões sonoras, os quais, numa assombrosa estética da convulsão, criam a matriz, verdadeiro teatro de emoções, que forma o corpo das canções simultaneamente rudes e doces da autora norte-americana. Ou seja, com Outlaster, produzido novamente por Steve Albini, Nina Nastasia insiste nas suas orações nocturnas, nos versos literários esquálidos e desesperados, mas, desta vez, substitui a superior e subtil coordenação de um conjunto instrumental aparentemente desarrumado – confirmar nos anteriores e excelentes Dogs, The Blackened Air e Run To Ruin -, e devolve-nos as suas sombras desfiguradas através de um espantoso ensemble de câmara, responsável pela criação de um punhado de ameaçadoras peças musicais orquestradas em forma de tango fúnebre, golpeado antes da definitiva despedida, soltando os últimos espasmos de aflição, ódio e desespero. 

 

publicado por adignidadedadiferenca às 23:22 link do post
Absolutamente magnífico.
Manuel a 18 de Fevereiro de 2011 às 22:09
Um disco difícil. Áspero, melódico, simultaneamente primitivo e sofisticado, que vai directamente para a lista dos indispensáveis deste ano (apesar da gravação ser de 2010, só o escutei agora).
Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
16
18
20
21
22
24
25
28
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
Pelo tema, enquadra-se nela sem grande esforço...
Fausto n e da tetralogia. Mas dolce. Q trata do du...
Parece-me uma boa escolha. O som é bom e a qualida...
blogs SAPO