a dignidade da diferença
11 de Novembro de 2010

 

 

Em tempo de crise, tomem lá um dos poucos motivos para festejar este ruinoso ano de 2010 em louca cavalgada para o abismo; Lloyd Cole regressou com o novo e excelente álbum Broken Record, gravação que acumula no seu eixo, pelo menos, quatro ou cinco clássicos instantâneos e obrigatórios, inspirados na nobre linhagem dos Commotions, inesquecíveis acompanhantes dos obrigatórios Rattlesnakes e Mainstream. Trata-se de mais um belo compêndio do músico que um dia venerou Raymond Carver e Norman Mailer, obra que vai buscar as suas fontes musicais à country, à pop e à folk criativa e corporeamente desarrumadas, fornecendo elementos suficientes para incentivar um estimulante e permanente diálogo com os habituais textos assentes numa estupenda concisão literária.

Uma obra que não surpreende nem provoca rupturas estéticas com o passado mais recente, que aposta na continuidade, mas que representa um significativo gesto artístico de um autor que ainda não se acomodou e encontra na sua escrita razões para se ir renovando subtilmente e para manter viva a chama criativa. Um trabalho francamente recomendável com nomeação garantida para a lista dos melhores, quando se fizer o balanço musical do ano corrente.

 

"Man Overboard"

 

publicado por adignidadedadiferenca às 00:29 link do post
Novembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
14
15
16
17
18
19
22
23
26
27
30
Posts mais comentados
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
últ. comentários
É falso que o fenómeno tenha ocorrido no preciso m...
Acho que você é quem deveria pensar pela sua cabeç...
Experimente ler "Fátima, Milagre ou Construção?, u...
Não consigo vislumbrar uma ligação directa entre a...
Parece-me que existe uma grande crise de valores e...
Não me parece que a crise de valores ou os valores...
Muito bem! Embora nos dias de hoje e na sociedade ...
Certo; tudo bem que existissem questões políticas ...
Já tive o livro, de facto. Contudo, foi mais ou me...
CaroEstou a procura do livro fatima nunca mais mas...
Não deixa de ser um belo aforismo...
O que é a vida, senão um turbilhão de pensamentos ...
blogs SAPO